O primeiro livro com uma historinha do Sítio do PicaPau Amarelo foi escrito por Monteiro Lobato em 1920. De lá pra cá, são quase cem anos. O desenho dos personagens mudou bastante durante este período, mas não o encantamento da criançada diante de cada aventura. Pedrinho, Narizinho e Emília, ao lado do Visconde de Sabugosa, e da malvada Cuca, encheram os olhinhos dos pequenos, neste domingo (22), no Teatro RioMar. A todo tempo, eles interagiam com o musical Sítio do PicaPau Amarelo: Em busca do tesouro, que teve única sessão lotada em uma uma atração da Temporada de Férias do RioMar.


A história começa com Pedrinho contando um segredo: ele escondeu o tesouro do Sítio do PicaPau Amarelo em um lugar que só ele conhecia. Quando ele revela para Emília, Narizinho e o Visconde de Sabugosa, a Cuca ouve tudo e resolve raptar o menino e pedir o misterioso tesouro como resgate.


Mas qual será a surpresa da bruxa ao descobrir que o tesouro estava longe de ser algo valioso como moedas de ouro ou diamantes. Na realidade, o tesouro do Sítio do PicaPau Amarelo são as obras literárias de Monteiro Lobato, umas das maiores riquezas culturais do Brasil.

“Ainda acabo fazendo livros onde as nossas crianças possam morar.” Monteiro Lobato.

A famosa frase de Monteiro Lobato, lida durante o espetáculo, sintetiza o papel da literatura no desenvolvimento das crianças e faz uma bela homenagem ao escritor brasileiro, mostrando que suas histórias continuam eternas.

Mães como a psicóloga Maria Raquel Ramos acreditam na importância da leitura e do teatro para o desenvolvimento das crianças. Ela trouxe a filha Luísa Fernandes, de apenas três anos, para o musical. “Ela vê os vídeos do Sítio, ouve as historinhas e sempre a trazemos para o teatro. Estamos criando esse hábito desde cedo”, revela. Luísa, inclusive, veio vestida de Emília, sua personagem favorita.

Além do Sítio do PicaPau Amarelo, o pequeno Rafael Moreira, 4 anos, assistiu à peça Bob Zoom, na semana passada, no mesmo teatro. A mãe, a psicóloga Eduarda Burlamaqui, acha muito importante dividir as férias entre atividades de lazer e culturais.

Mais atrações para os pequenos 

Para encerrar os shows da temporada de férias, entra em cena o mágico o Rapha Santacruz e a Trupe Cia do Riso. O ilusionista Rapha Santa Cruz traz em seu rico repertório sertanejo um pouco de mágico e palhaço. Em uma linguagem típica do Nordeste brasileiro, ele apresenta seu universo de encantamento às crianças, tirando de sua mala de vaqueiro sertanejo várias surpresas. A apresentação será gratuita, no Piso L3, no dia 29 de julho, às 16h.

A Trupe Cia do Riso traz a magia do circo para o RioMar logo depois, com show gratuito a partir das 17h. A Cia do Riso já tem uma trajetória de dez anos com atuação em espetáculos infantis.