Vinho é um gosto muito particular. Claro que existem algumas regras. Mas no final das contas, o mais importante é degustar aquele rótulo que você mais gosta com a comida que mais combina com o seu paladar. Carne vermelha harmoniza bem com tinto? Peixes e frutos do mar com branco? Sim, as regras continuam sendo essas. O especialista em vinhos Jorge Lucki explicou os detalhes de cada combinação, mas deixou claro: “Existe um conceito fundamental: regra é regra, gosto é gosto”. Jorge, apontado como um dos maiores conhecedores de vinhos do País, colunista do jornal Valor Econômico e da Rádio CBN, falou sobre o tema “Harmonização de vinhos e o mercado da bebida no Brasil”, nessa quinta-feira (9), no Teatro Eva Herz, na Livraria Cultura, dentro da programação do circuito Aromas e Vinhos, realizado pelo RioMar Recife até o próximo dia 19.

O palestrante começou falando do consumo de vinho no mundo, ressaltando que os vinhos portugueses estão em alta e apresentou um dado surpreendente. De acordo com a Organização Internacional do Vinho, Portugal é o país que mais consome vinho per capita, com 54 litros por habitante a cada ano, passando, inclusive, a França. Atualmente, a França ocupa o segundo lugar no ranking, com 51,2 litros, e a Itália em terceiro, com 43,6.

A bebida já é a terceira mais consumida no Brasil, mas estamos longe de Portugal, por exemplo. O País ocupa o 20º lugar em consumo per capita, com 1,9 litro. O motivo? Os altos impostos praticados. No Velho Mundo, acredita-se de fato que o consumo moderado de vinho tinto ajude a proteger o coração, reduzindo o colesterol, por isso o incentivo de países como Portugal, França e Itália. Sem falar que faz parte do ritual dos europeus.

Mas grande parte do tempo da palestra ficou mesmo para a harmonização de vinhos com pratos. Sobre isso, alguns conceitos básicos:

» Ambos devem estar no mesmo patamar. A bebida nunca pode ofuscar o prato. Pratos delicados pedem vinhos delicados; pratos consistentes pedem vinhos encorpados

» A combinação de sabores é muito importante.  Pratos mais condimentados, pedem vinhos com mais frescor.

» É preciso estar atento à combinação de texturas

Vamos então a algumas dicas importantes?

1. Peixe não combina com tinto porque o vinho ofusca o peixe, não importa o tipo de peixe

2. Frutos do mar também não combinam com tinto, apenas com branco e rosé 

3. Queijos não combinam com tinto (nenhum tipo!)

4. No caso da culinária japonesa, apenas o sashimi de atum combina com tinto

5. Molho de tomate casa bem com tinto

6. Bolo não combina com champanhe ou espumante

Para os leitores do Viva RioMar, Jorge Lucki (tão amante da bebida que até o broche de sua lapela é um saca-rolhas), deu uma dica para quem deseja entrar neste mundo mas ainda não é um entendedor. “Comece a beber. Mas preste atenção no que está bebendo, não beba mecanicamente. Há uma diferença entre degustar e beber. Quando você bebe, é apenas ‘gostei ou não gostei’. Quem dá um passo a mais, questiona ‘por que não gostei deste vinho?’. Então começa a perceber as nuances que estão na boca, porque o paladar você educa.”

Aromas e vinhos 

O RioMar promove até o dia 19 de agosto o evento Aromas e Vinhos. É a oportunidade para o público conhecer as lojas – estão sinalizadas nas vitrines – que vendem a bebida e os acessórios relacionados como taças, saca-rolhas e decanter, por exemplo.

Restaurantes indicam pratos especiais para harmonizar com vinhos