Depois de oito anos, o compositor e violonista mineiro João Bosco lança um novo álbum. Mano Que Zuera celebra os 70 anos do cantor em meio à homenagem da Academia Latina da Gravação: no dia 15 de novembro passado, em Las Vegas, ele recebeu o Prêmio à Excelência da Obra, parte importante das celebrações do Grammy Latino 2017.O show chega ao Recife no dia 14 de abril, com única apresentação no Teatro RioMar. Os ingressos custam a partir de R$ 100 (com direito à meia entrada).

Nesta obra, Bosco retoma a parceria com Aldir Blanc, iniciada nos anos 70. O encontro está de volta no samba Duro na queda, clássica representante da nobre linhagem da dupla. Pé de vento inaugura colaboração com o compositor Roque Ferreira, que teve Maria Bethânia como madrinha. Foi a cantora quem aproximou João de Roque quando lhe pediu um arranjo para uma canção do baiano.

Arnaldo Antunes, com quem João já queria compor há tempos, é o parceiro em Ultra leve, canção solar que propõe um sobrevoo para além dos cartões postais do Rio de Janeiro.