Pular sete ondas, escolher a cor da roupa conforme seu principal desejo, brindar com champanhe… são muitas as dicas da sabedoria popular para garantir boas energias no ano que chega. Claro que a sorte também está servida à mesa e a comida não poderia ficar de fora.

A primeira e mais importante regra é: nada de usar a ave que sobrou do Natal. Se você não comeu no almoço do dia 25, melhor congelar e deixar a mesa da noite do Réveillon reservada para os que “seguem adiante”.

Portanto nada de “ciscar pra trás”. É hora de servir peixes, em especial o bacalhau. Mas a unanimidade parece mesmo ser os cortes de suínos, que “fuçam pra frente”.

Filé suíno com rabanada de panetone pela chef Luciana Sultanum, no Ateliê Perini

Mas a tradição ainda tem espaço para outras práticas: uvas e romãs são sempre sete. Além disso guarde as sementes na carteira para garantir dinheiro.

Comer lentilha também é certeza de sucesso para o novo ano e, há quem diga, que a dona da casa deve servir todos os convidados com a mesma colher. É, vale tudo para o ano novo ser melhor!

Lentilhas espanholas em conserva

Segundo Izabel Baptista, aluna de gastronomia e cliente Perini, o importante é ter “uma mesa bastante farta, para que não nos falte alimentos nunca no decorrer do ano.”

Izabel Baptista, cliente Perini

Cada casa tem sua tradição, mas o que todos concordam é que estar junto com quem se ama ainda é a melhor maneira de começar um novo ano.