Uma crise na bolsa de valores dos Estados Unidos ainda no século 19 deu origem ao termo “Black Friday”, após dois especuladores, Jay Gould e James Fisk, tentarem tomar o mercado do ouro na Bolsa de Nova York.

Guia de Ofertas Black Friday: pesquise e garanta a melhor compra

A associação positiva ao evento só aconteceu anos depois quando o comércio “aquecia” as vendas com o inicio das festividades natalinas, marcadas por ser um dia após o Dia de Ação de Graças. E aqui também tem uma história.

É que, inicialmente, o presidente Abraham Lincoln determinou que a celebração aconteceria na última quinta-feira de novembro. Contudo, em determinado ano, a data escolhida aconteceu justamente no último dia do mês. Os comerciantes, lógico, não ficaram satisfeitos e reivindicaram uma semana a mais no calendário.

Assim, já no governo de Franklin Roosevelt, o dia passou a ser comemorado na quarta quinta-feira de novembro, garantindo uma semana extra de compras até o Natal. Com o tempo, Black Friday passou a significar ‘voltar ao azul’.

No Brasil, onde o feriado de Ação de Graças não existe, a data passou a ser incluída no calendário comercial do país, a partir de 2010, quando os comerciantes perceberam o potencial de vendas do dia, e os consumidores adoraram a ideia.