Gosta de produzir textos? Veja dicas para escrever melhor
Foto: Pexels/Divulgação

Gosta de produzir textos? Veja dicas para escrever melhor

Por Inês Calado*

Para todos

No jornalismo, umas das primeiras perguntas que fazemos é: para quem estou escrevendo? É para especialistas no assunto ou leigos? Com a resposta, vamos construindo o texto, que será simples ou aprofundado. Vai depender de quem está do outro lado. Ouvi do meu primeiro editor: “Nem sempre o que é óbvio para você, é óbvio para o seu leitor. O bom texto é aquele que alcança a todos”. Nunca esqueci esta dica e sempre procuro explicar siglas e situar os meus textos, para que se façam claros para todos.

Seja conciso

Você já ouviu falar em “nariz de cera”? Esse termo é usado para os textos longos, cheios de adjetivos, bastante descritivos. Existem escritores que são mestres nesta arte, como o Nobel de Literatura Gabriel García Marquez. No entanto, essa arte é para poucos. No corre-corre do dia a dia, com o excesso de informações que temos, os textos precisam ser cada vez mais claros e diretos. Caso contrário, o leitor irá “abandoná-lo” antes do fim.

Cuidado com o português

É muito comum recebermos e-mails e mensagens nos grupos de whatsapp com erros de português. O Babbel, um dos maiores aplicativos de ensino de idiomas no mundo, listou alguns dos erros mais cometidos pelos brasileiros:

1. “Há ou “a”

“Há”, do verbo haver, indica passado e pode ser substituído por “faz”. Por exemplo: “Há oito anos, o RioMar era construído”. “Faz oito anos que o RioMar foi construído”.

O “a” faz referência à distância ou a um momento no futuro.

Por exemplo: “O RioMar fica a 15 quilômetros”. “A loja Nespresso irá abrir daqui a alguns meses”.

2. “Tem” ou “têm”

Tanto “tem” como “têm” fazem parte da conjugação do verbo “ter” no presente. Mas o primeiro é usado no singular, e o segundo no plural.

Por exemplo: “Você tem medo de mudança”. “Eles têm medo de mudança”.

3. “Mais” ou “mas”

“Mas” expressa a ideia de contraste ou compensação. Por exemplo: “Eu gostaria de ir, mas tenho aula”. “Ele é muito inteligente, mas é arrogante”.

“Mais” é o oposto de menos. Trata-se de um advérbio de intensidade. Por exemplo: “Ele chegou mais cedo do que o combinado”.

“Mais” também pode exercer a função de pronome indefinido. Por exemplo: “Mais de uma vez, ele chegou atrasado”.

Para lembrar: Eu já errei, mas nunca mais vou utilizar MAIS no lugar de MAS. 😉

4. “Fazem” ou “faz”

Quando o verbo fazer indica “tempo decorrido” é impessoal e, por isso, sempre será usado na terceira pessoa do singular: Por exemplo: “Faz dez anos que trabalho no RioMar”.

5. Aqui, vai um erro que não foi listado pelo Babbel, mas que é muito comum nos e-mails corporativos: o uso da palavra “anexo”.

Errado: Seguem anexo os documentos solicitados.

Certo: Seguem anexos os documentos solicitados.

Por que? Anexo é adjetivo e deve concordar em gênero e número com o substantivo a que se refere.

Cuidado ao escolher as palavras

Muitas vezes, não conseguimos expressar em um texto exatamente o que estamos sentindo. As palavras escritas costumam nos trair, afinal não é possível ver as expressões de quem está do outro lado. Por isso, antes de enviar qualquer mensagem, principalmente no ambiente de trabalho, releia. Veja se as palavras usadas estão dizendo exatamente o que você gostaria de dizer!

*Inês Calado é coordenadora de conteúdo no RioMar Recife

Do erudito ao popular: a literatura que transcende o tempo

Deixe seu comentário