Bola Telstar 18 homenageia modelo usado em 1970 e faz referência a satélite

Whatsapp Facebook Twitter Linkedin Email
Foto: Divulgação

Na manhã do último domingo, três astronautas – um russo, um japonês e um americano – trouxeram de volta à Terra a bola de futebol que será usada na partida inaugural dos jogos mundiais. A Telstar 18, da Adidas, aterrissou na cápsula Soyuz MS-07, perto da cidade de Khezkazgan, nas estepes do Cazaquistão.

Em um vídeo postado pela Roscosmos, a agência espacial russa, é possível ver Anton Chkaplerov e sua colega Oleg Artemiev jogando com uma bola Adidas Telstar 18 na Estação Espacial Internacional. Essa demonstração, que mistura futebol e tecnologia, não é gratuita: a bola de 2018 faz referência a dois eventos do passado: a disputa de 1970 e um satélite lançado em 1962.

O mais antigo é o satélite – ou melhor, linha de satélites – Telstar (combinação de “television” e “star”), desenvolvido pela AT&T e responsável, nos anos 1960, pelas primeiras transmissões civis de TV, telefonia e telégrafo. Devido à sua órbita não-geossincrônica, a disponibilidade da Telstar para sinais transatlânticos foi limitada a 20 minutos em cada órbita de 2,5 horas quando o satélite passou sobre o Oceano Atlântico.

Porém, isso foi o suficiente para realizar a  primeira transmissão de televisão ao vivo entre Europa e os Estados Unidos, no dia 23 de julho de 1962. Os dois satélites lançados, Telstar 1 e 2, ainda estão em órbita da Terra, embora não funcionem mais.

Mas o seu legado foi além das transmissões. Seu design esférico, com várias placas de baterias solares acoplados em sua volta, serviu de inspiração para as bolas do Campeonato Europeu de 1968 e para a competição de 1970, no México – esta última, a primeira a ser transmitida em cores, via satélite.

O formato icosaedro truncado, com 12 painéis hexagonais pretos e 20 pentagonais brancos foi pensado para ajudar a visibilidade em transmissões de televisão em preto e branco. A nova Telstar 18 faz referência a esse padrão, mas com um toque moderno: são 18 painéis texturizados, com a pintura preta impressa num padrão pixelizado.

Por dentro, a bola também tem muita tecnologia. Um chip de transmissão de dados em proximidade (NFC), permite aos consumidores interagir com a bola usando um smartphone.

Fonte: Blog MundoBit



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *