Pela primeira vez no hemisfério Sul, o 8º Fórum Mundial da Água, que acontece em Brasília, entre os dias 18 e 23 de março, traz a temática “Compartilhando Água”. O evento promove um diálogo mundial e democrático, que incentiva o uso racional deste recurso em todos os setores da sociedade. A ação ocorre em um momento oportuno, uma vez que nesta quinta-feira (22) é comemorado o Dia Mundial da Água, e, portanto, a discussão sobre o tema reacende a reflexão sobre o impacto das atividades humanas sobre o recurso mineral.

Sustentabilidade: um debate necessário

Um exemplo disso é o que acontece com o Rio São Francisco que vem enfrentando problemas intensificados com o fenômeno da seca. Sobre esse assunto, a superintendente adjunta de Operações e Eventos Críticos da Agência Nacional de Águas (ANA), Ana Paula Fioreze, afirmou que o órgão vem instalando Salas de Crise desde 2013 para monitorar o fluxo do rio. “A cada ano finalizado, observa-se que há uma intensificação, ano após ano, do fenômeno da seca no Velho Chico. A observação desses fatores é fundamental para uma eficiente gestão dos recursos hídricos”, explicou Ana Paula.

A opinião unânime entre os pesquisadores é que apenas as ações governamentais não são suficientes. A sociedade precisa participar com atitudes conscientes em relação aos recursos ambientais. O professor da UPE Clemente Coelho Júnior, doutor em oceanografia biológica pelo Instituto Oceanográfico da Universidade de São Paulo, explica que as pessoas podem atuar de maneira simples, no dia a dia, para diminuir os impactos sobre o meio ambiente. “O gesto de economizar água e energia já ajuda a conservar os recursos naturais. Devemos ser agentes ativos no compartilhamento de conhecimentos”, destacou o professor.

Leitura para compreender a sustentabilidade

SUSTENTABILIDADE

O RioMar Recife realiza, no próximo dia 27, no Teatro RioMar, o evento Conexão Sustentável – Um encontro pelo amanhã, hoje. O objetivo é debater questões como economia sustentável, futurismo e ecossistema.

Entre os debatedores, o ator Marcos Palmeira que, além de atuar, tem um projeto voltado ao empreendedorismo sustentável; Lala Deheinzelin, considerada umas das principais futuristas da América Latina, especialista em novas economias; e o professor da Universidade de Pernambuco (UPE) Clemente Coelho Jr., com estudos na área de sustentabilidade e mangue.

Os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia), à venda na bilheteria do teatro e no site. O evento começa às 18h30. Toda a venda será revertida para o Centro Escola Mangue, localizada no Pina.