Novembro Azul: a importância do diagnóstico precoce
Foto: Freepik

Novembro Azul: a importância do diagnóstico precoce

O Novembro Azul é uma campanha que acontece durante o mês de novembro para conscientizar sobre a importância da prevenção e do diagnóstico do câncer de próstata. Responsável por ser o segundo tipo de câncer mais comum entre os homens brasileiros, a doença, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), acontece em cerca de 75% dos casos a partir dos 65 anos.

Para nos ajudar a entender mais sobre o assunto, o Viva RioMar conversou com o urologista Dr. Felipe Côrrea de Araújo, especialista em Uro-Oconlogia, titular da Sociedade Brasileira de Urologia e membro do grupo de cirurgia robótica do Real Hospital Português, para tirar algumas dúvidas e reforçar a importância do diagnóstico precoce.

O que é o câncer de Próstata?

A segunda neoplasia maligna mais comum nos homens, atrás apenas do câncer de pele não melanoma. E a segunda causa de morte por câncer entre os homens. Estima-se que perto de 70.000 novos casos serão diagnosticados no Brasil e 1 em cada 6 homens vão desenvolver câncer de próstata. E ao longo da vida , nós homens temos um risco de 15% de recebermos esse diagnóstico.

É um câncer da terceira idade, onde cerca de 70% dos homens são diagnosticados acima dos 65 anos.

A partir de quantos anos o homem deve ficar atento ao diagnóstico?

Apesar de ser um câncer mais comum após os 60 anos de idade, a Sociedade Brasileira de Urologia orienta a todos os homens acima dos 50 anos procurar um urologista para realizar os exames de rastreamento. Para aqueles homens com maior fator de risco, que são os homens afrodescendentes ou os que tiveram algum parente de primeiro grau (pai ou irmão) com câncer de próstata, devem ir a uma consulta após os 45 anos de idade.

Quais sinais devem ser observados?

Em sua fase inicial, o câncer de próstata é uma doença silenciosa. E é justamente nessa fase que a chance de cura pode chegar aos 90%. A suspeita ocorre geralmente com um aumento dos níveis de PSA (exame feito no sangue) ou uma alteração no toque retal. Mas a confirmação só é feita através de uma biópsia da próstata.

É uma doença genética?

Em apenas 5-10% das vezes o câncer de próstata é causado por mutações hereditárias. Mas sabemos que, se o paciente apresenta parentes de primeiro grau com passado de câncer de próstata, aumenta sua chance de ter a doença. Se teve um pai com câncer de próstata diagnosticado acima dos 60 anos, as chances aumentam em 1,5x quando comparado com a população geral. Se for um irmão aumenta em 2x. Se tiver o pai diagnosticado abaixo dos 60 anos, aumenta em 2,5x e se for um irmão, aumenta em 3x.

Quais cuidados o homem pode ter para diminuir as chances de ter o câncer?

O principal fator de risco para o câncer de próstata é a idade. Quanto mais velhos a gente fica, mais chance de ter um câncer de próstata, e infelizmente, não temos como parar o tempo. Mas existem outros dois fatores de risco, que são a obesidade e uma alimentação com alto teor de gorduras saturadas.

Existem chances de reverter o quadro?

Se diagnosticado no início as chances de cura chegam a 90%. Os dois principais tratamentos curativos são a cirurgia e a radioterapia. Em tumores maiores ou com grau de agressividade maior, a cirurgia tende a ter melhores resultados. Nos casos inicias, as chances de sucesso são semelhantes. Se indicado a cirurgia, temos utilizado o auxílio da cirurgia robótica. Temos no Hospital Português, o robô Da Vinci XI , mais moderno da América Latina, que nos fornece uma imagem aumentada e tridimensional. É um tratamento minimamente invasivo, em que através de pequenos cortes, são introduzidas pinças pequenas e articuladas, com menor risco de complicações e uma recuperação mais rápida.

Deixe seu comentário