Máscaras de proteção: saiba como usá-las corretamente
Foto: Pexels

Máscaras de proteção: saiba como usá-las corretamente

Em muitos lugares, como aqui em Pernambuco, a quarentena passa por um momento de flexibilidade em decorrência do achatamento da curva de contágio do novo coronavírus. A importância de permanecer em casa continua, contudo, em casos de necessidade, as pessoas precisam sair e, nesse momento, instituições públicas orientam a utilizar máscara de proteção. Para deixar tudo explicadinho, reunimos as informações dadas pela Prefeitura do Recife e do Ministério da Saúde sobre como usar a máscara da forma correta. Vamos lá!

O que usar: óculos ou lentes de contato em período de pandemia?

COMO USAR

Caso a pessoa decida usar a proteção facial artesanal de tecido, é importante priorizar os tecidos de algodão ou tricoline, por exemplo, além de evitar aqueles que possam irritar a pele, como poliéster puro e outros sintéticos. Para serem utilizadas corretamente, as máscaras devem cobrir totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços nas laterais, mantendo o conforto e espaço para a respiração.

A recomendação da Anvisa é que cada pessoa tenha em torno de cinco máscaras de tecido de uso individual e que cada uma seja usada por, no máximo, três horas. Portanto, a máscara deve ser trocada após esse período ou até antes se tiver úmida, com sujeira aparente, danificada ou se estiver dificultando a respiração.

O Ministério da Saúde recomenda que a população, ao precisar sair de casa, leve pelo menos uma máscara reserva e uma sacola para guardar a proteção facial suja, quando necessário trocar. É importante lembrar que a proteção facial é individual e não deve ser compartilhada com ninguém.

Antes de utilizar a máscara, é preciso observar se ela está limpa e se não está rasgada em algum ponto. Deve-se higienizar as mãos com água e sabão ou com álcool a 70%. Também é preciso ter cuidado para não tocar na máscara e, caso isso aconteça, as mãos devem ser higienizadas imediatamente. A Anvisa recomenda, ainda, que seja evitado o uso de batom ou outra maquiagem durante o uso da proteção facial.

HIGIENIZAÇÃO E DESCARTE

Antes de retirar a máscara, é necessário higienizar as mãos novamente. Ela deve ser retirada manuseando os elásticos ao redor das orelhas, sem tocar a parte frontal da máscara, e descartada ou colocada para lavar, caso seja de tecido. Após a retirada, os procedimentos de higienização das mãos devem ser repetidos.

Embora possam ser lavadas e reutilizadas, diferentemente das descartáveis, é preciso ter alguns cuidados para higienizar as máscaras de tecido. Primeiro, é preciso saber que não se deve lavar mais do que 30 vezes o material. Para manter o autocuidado, essa lavagem deve ser feita pela própria pessoa que utilizou e deve acontecer separadamente das demais roupas.

As máscaras devem ser lavadas previamente com água corrente e sabão neutro e, em seguida, colocadas de molho em uma solução com água sanitária ou outro desinfetante durante 20 a 30 minutos. Em seguida, o material deve ser enxaguado com água corrente para remover qualquer resíduo de desinfetante (nesta etapa, deve-se evitar torcer a máscara). Após secar, a proteção facial deve ser passada com ferro quente e, se não estiver com nenhum dano, deve ser guardada em um recipiente fechado.

A máscara de tecido deve ser descartada caso apresente perda de elasticidade das alças ou deformidade no tecido. O descarte deve ser feito em um saco de papel ou plástico fechado ou em uma lixeira com tampa.

COMO CONFECCIONAR

Para confeccionar a sua própria máscara, a recomendação da Anvisa é que sejam priorizados tecidos de algodão e evitados os tecidos sintéticos, como poliéster puro. Como a proteção facial serve como barreira física ao vírus, o ideal é que ela tenha três camadas: uma de tecido não impermeável na parte frontal, outra de tecido respirável e uma de tecido de algodão na parte em contato com a superfície do rosto.

A máscara deve ter um tamanho que permita cobrir a boca e o nariz. Ela também deve estar bem adaptada ao rosto, para que se evite sua recolocação toda hora. Por isso, é importante que a proteção facial tenha elásticos ou tiras para amarrar acima das orelhas e abaixo da nuca.

É preciso lembrar que, mesmo durante a confecção, se faz necessário seguir as recomendações de higiene. Portanto, as superfícies do local onde será confeccionada a máscara devem ser higienizadas com um produto para desinfecção, como álcool 70% ou hipoclorito de sódio a 1%. Ao término, é importante que a proteção facial seja lavada com água e sabão e passada com o ferro quente.

Fonte: Prefeitura do Recife

Deixe seu comentário