O Dia Mundial da Atividade Física é comemorado no dia 6 de abril e tem como um dos objetivos conscientizar as pessoas sobre a importância da prática de exercícios para a saúde e o bem estar. Carlos Alves, professor da Cia Athletica, explica algumas vantagens do hábito. “A atividade física é capaz de melhorar a aparência da pele, ajuda a diminuir e controlar o peso corporal, diminui o risco de doenças do coração, pressão alta, osteoporose e diabetes”, diz. A prática também aumenta o colesterol bom (HDL) e ajuda a produzir o hormônio do bem-estar, a serotonina.

Segundo um levantamento realizado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), sete em cada dez brasileiros não praticam atividade física com regularidade. A estatística chama atenção porque a prática de exercício é uma maneira de prevenir uma série de doenças como a hipertensão, diabetes e até o câncer. Para estimular as pessoas a ter um hábito mais saudável, o professor da Cia explica quais são os exercícios mais incentivados para cada faixa etária.

Na infância são indicadas as atividades que desenvolvam a resistência, coordenação motora e agilidade. Normalmente, a prática de esportes do gosto da criança é uma oportunidade de fazer com que os pequenos tomem gosto por praticar atividade física. Já para os adultos, as atividades sugeridas são as que melhorem a resistência aeróbia, flexibilidade e a força muscular. Esses exercícios podem ser feitos em ambientes fechados (academias) e ao ar livre como praias e parques.

Para os mais experientes, Carlos explica os pontos que devem ter mais atenção. “É importante praticar atividade física em que a pessoa tem que deslocar ou vencer uma resistência com alguma carga, como por exemplo, musculação, natação e pilates”, comenta. Na maioria dos idosos, é percebida que a força muscular é a maior necessidade a ser trabalhada. Atualmente o treinamento funcional tem promovido bons resultados ao condicionamento físico do idoso. As demais atividades também devem ser trabalhadas como a resistência, flexibilidade, equilíbrio, entre outros.

É importante lembrar que a prática de atividade física feita de maneira eventual não consegue promover os benefícios para o corpo como a prática realizada regularmente. A Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda se exercitar no mínimo três vezes na semana, com a intensidade leve a moderada, alternando os exercícios aeróbios com os de força muscular. Caso o praticante tenha alguma doença músculo esquelética e/ou sistêmica, tem que ter uma adequação da atividade física levando em consideração a doença pré existente.