Leitura: conheça seis grandes mulheres da literatura brasileira

Leitura: conheça seis grandes mulheres da literatura brasileira

Uma das formas mais bonitas de acompanhar a trajetória cultural do Brasil é através da sua arte. A literatura mantém um espaço de enorme importância na educação das pessoas. É lendo pelas palavras de grandes autores que conseguimos entender e vivenciar fatos da nossa história. Subindo cada vez mais e alcançando seu reconhecimento, mesmo depois de anos, muitas mulheres mostraram a força que seus versos tinham, não só nas páginas, mas na sociedade brasileira.

Dica de leitura: 5 livros para viajar pelo mundo

Por isso, o Viva RioMar traz alguns nomes de grandes mulheres da literatura brasileira. Dá uma olhada:

Maria Firmina dos Reis (1822-1917)

Considerada a primeira mulher romancista do Brasil, ela foi a autora do livro Ursula (1859), usando o pseudônimo de “uma maranhense”. Seu livro foi considerado a primeira obra com a temática abolicionista no país. Além de pioneira na literatura, Maria Firmina dos Reis foi a primeira mulher a ser aprovada em um concurso público no Maranhão para professora de primário.

Hilda Hilst (1930-2004)

Considerada um dos maiores nomes da literatura de língua portuguesa, Hilda de Almeida Prado Hilst foi uma ficcionista, cronista, dramaturga e poeta brasileira. Sua primeira obra foi o livro de poemas chamado Presságio (1950). Ela foi dona de uma linguagem inovadora explorando temas como divindade, insanidade e erotismo.

Clarice Lispector (1920-1977)

Em 2020, Clarice faria cem anos. Uma das maiores escritoras brasileiras, ela foi romancista, contista, cronista, tradutora e jornalista. Natural da Ucrânia, a escritora passou pelas cidades de Maceió, Recife e Rio de Janeiro. Suas obras carregam um estilo especial de Clarice: um romance urbano que explora o campo psicológico das personagens e o uso do monólogo interior.

Carolina de Jesus (1914-1977)

Mineira, ela nasceu em uma comunidade rural em 1914, frequentou a escola aos sete anos e logo desenvolveu um gosto pela leitura e a escrita. Após a morte de sua mãe, se mudou para São Paulo, desempregada e grávida. Trabalhava como catadora de papel e escrevia sobre sua realidade, o resultado foi o livro Quarto de Despejo – Diário de uma Favelada, publicado em 1960Essa obra foi traduzida em 16 idiomas e virou um best-seller. Após o sucesso, a autora ainda publicou dois livros enquanto viva, e teve publicadas outras obras póstumas.

Cecilia Meireles (1901-1964)

Considerada uma das maiores poetisas brasileiras, Cecília é dona de obras de caráter intimista que possui forte influência da psicanálise. Ela foi poeta, ensaísta, cronista, folclorista, tradutora e educadora. Seu primeiro livro foi publicado em 1919, chamado Espectros. Sua poesia foi traduzida para diversos idiomas, incluindo alguns menos convencionais como híndi e urdu, e musicada por uma variedade de artistas.

Conceição Evaristo

Graduada em Letras pela UFRJ, Mestre em Literatura Brasileira pela PUC do Rio de Janeiro, com a dissertação Literatura Negra: uma poética de nossa afro-brasilidade (1996), e Doutora em Literatura Comparada na Universidade Federal Fluminense, ela é um dos grandes nomes da literatura contemporânea brasileira. Nascida em 1946, Conceição Evaristo é escritora desde pequena, porém ela viu suas palavras serem editadas pela primeira vez aos 44 anos, em 1990, na coletânea Cadernos negros, organizada pelo coletivo Quilombhoje. Um livro de grande destaque é Olhos D’Água, lançado em 2014.

Deixe seu comentário