Conheça a poesia visual de Clarice Freire

Conheça a poesia visual de Clarice Freire

Na próxima quinta-feira (21), comemora-se o Dia Mundial Da Poesia. A data é um momento para pensar na arte escrita, na inovação do pensamento literário e na criatividade. Falando em criatividade na poesia, a escritora Clarice Freire, da página @podeluaoficial, contou um pouco do seu trabalho que, após grande repercussão nas redes sociais se tornou um dos livros mais vendidos do Brasil.

Clarice é publicitária de formação e revelou que enquanto atuava na área produzia seus versos como passatempo. Os rabiscos eram feitos nos momentos livres do trabalho, mas ela mesma os jogavam fora. Depois de muitos versos irem direto para o lixo, uma colega de trabalho a incentivou na criação de um blog no qual a escritora passou a publicar sua arte.

Por que “Pó de Lua”? Clarice revela que o nome vem de uma reflexão na sua adolescência. A lua mesmo sendo pó, como nós, se permite refletir a luz de outro astro maior, o sol, e por conta disso as noites não são escuras. “Pensei em ser igual a lua, poder refletir uma luz maior, para clarear as noites”, afirmou.

Quando perguntada sobre de onde vem sua inspiração, a escritora conta que desde criança já escrevia alguns versos. Ela expôs que cresceu em um ambiante artístico, uma vez que seu pai também é escritor e sua mãe faz desenhos com aquarelas. Além dessa herança familiar, Clarice se inspira em outros escritores, desde clássicos como Cecília Meireles e Leminski a contemporâneos como Pedro Gabriel, autor do livro Eu Me Chamo Antônio.

Referente a transição dos posts nas redes sociais para o livro, ela conta que depois da grande repercussão de seus poemas no Facebook, em 2014 publicou pela editora Intrínseca o primeiro livro. A obra ficou entre as mais vendidas do Brasil e a sensação de poder tocar em outro público foi incrível, revelou a escritora. Algumas pessoas – inclusive – conheceram seu trabalho online através do livro.

Em 2016 Clarice publicou seu segundo livro “Nas Noites Em Claro” também pela Intrínseca. Ela finaliza definindo sua arte como poesia visual, pois a imagem é uma marca forte do seu trabalho.

Mesmo com os livros publicados, a escritora continua encantando com suas poesias nas redes sociais.

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário